Albinos o mar negro da perfeição

A palavra albinismo deriva do latim albusis, que significa branco
O Albinismo também chamado de acromia, é um distúrbio congênito caracterizado pela ausência completa ou parcial de pigmento na pele, cabelos e olhos, devido à ausência ou defeito de uma enzima envolvida na produção de melanina.  O albinismo  é resultado de uma herança de alelos de gene recessivo, acontece em todo reino animal, contando com o ser humano.O albinismo é associado com um número de defeitos de visão, como fotofobianistagmo e astigmatismo .Em contato com o sol pode causa queimaduras e câncer de pele, e  principalmente em excesso.

Os principais tipos de albinismo  são:

  • Oculocutâneo (completo ou total) - em que todo o corpo é afetado;
  • Ocular - somente os olhos sofrem da despigmentação;
  • Parcial - o organismo produz melanina (ou corantes, se no vegetal) na maior parte do corpo, mas em outras partes isto não ocorre como, por exemplo, nas extremidades superiores.

A transmissão ocorre desta três formas distintas:

  1. Autossômica recessiva;
  2. Autossômica dominante, e
  3. Ligado ao cromossomo X, quando afeta apenas indivíduos do sexo masculino.

Como mostra a imagem, tem-se a chance de o filho ser albino  em 25%.
autor:Fassincra
O que mais acontece desde quando existiam os albinos até hoje é o preconceito, ele continua.Como mostram as matérias da Tanzânia onde matam os albinos e em outros lugares em que o albinismo predomina entre pessoas negras,( porque pode acontecer com todo mundo) ele também matam ou vendem.
O preconceito é enorme para algo que é um síndrome e a pessoa não pode se culpar por ser assim, sendo que do mesmo modo na minha opinião é uma beleza  extremamente minimalista e difícil de se ver em qualquer lugar.Alguns foram apelidados por filhos da lua porque sair a noite torna a vida mais fácil e fora do sol, sem muitos problemas, por seguinte, tem-se o problema de preconceito e eles não tem facilidade de socialização.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou deste artigo?Deixe seu comentário ou assine nosso feed.